23.10.06

14 BIS

Deitado olhando estrelas imaginaria
Um , dois três minutos...
Guerra fria,úmida , calculista
Entre meu pensamento e sonhos
Um pequeno sonho
O sonho de...de voar

Uma tentativa de fazer o sonho resistir
Resistir ao amanhecer
Ao clariar do sol
Pois dizem que sonhar
É para quem dorme
Mas...mas eu tenho insonia
Os riscos de meus sonhos eu mesmo assumo
E tento suicidar-me
Em sonhos não dormidos
Mas sonhos
O sonho de voar

Lis

Um comentário:

Jane Krist disse...

Meu Deus olha com toda sinceridade: esse é um dos mais belos poemas que eu já li. Inclusive vou imprimir e carrega-lo aonde quer eu vá. Ele me serviu como uma musica aquela do tipo: perfeita, onde nossos ouvidos não cansam da repetição e pede toca mais uma vez. Moça: resistir ao amanhecer mesmo nos riscos dos sonhos... Sublime. Lembrei de um poema que escrevi dizia assim: (...)“ não apresento nenhum perigo a não ser á mim mesmo.”(...) e sim as vezes quero acreditar que quem dorme não sonha, só descansa e tem por momentos a soma de algumas imagens vistas ao longo dia. Por que os sonhos pedem esforço, eles precisam de projetos, como disse um poeta: morre um homem que quando morre o ultimo dos seus sonhos... Um abraço. Fui