10.10.08

Palavras

"...que noite maravilhosa!"
"Esta
(aponta para a moça)
que era ontem, é
essa?"
Disseram na calçada
"cor -
passou pelos pneus
reio"
A cidade desatarrachou de súbito.
Um bêbado se arrastou para os chapéus.
Os anúncios boquiabriram-se de susto.
Cuspiam
ora um "O"
ora um "S"
Mas na montanha,
onde chorava o escuro
e a cidade
timidamente se entornou,
era como se houvesse um flácido "O"
e um vil submisso "S".

2 comentários:

Dan disse...

recebido?

Anônimo disse...

Olá Liz. Faz muito tempo que não nos vemos nem tenho notícias suas. A última vez acho nem lembro... Mas lembro da sua arte, da sua linguagem tão própria e bem tratada. (...) onde chorava o escuro”(...) Parabéns. Por ora, uma angústia cega me maltrata , onde até o ar que respiro é pura dor. Pois é. Perdi minha companheira dia 24/10/2008. Saí pra passear com ela aqui mesmo numa rua atrás do prédio onde moro, e um carro pôs fim ao meu amor mais puro. Ela tinha só 3 anos, levou me coração e horizonte. Hoje a memória só me fere sem espaço pra cura, ela morreu nos meus braços... vou ficando por aqui Liz. Felicidades pra você e quando puder apareça. Jane