4.1.10

Temos muito o que dizer um ao outro,só o tempo podera de fato dizer o indizivel
Somos a própria arte, traduzimos o intraduzivel atravéz das visceras
Por mais que a dor nos faca compahia
Diariamente somos
Faz falta a sua falta

Aos poucos acostumei com sua ausencia
Ausencia próxima que aos poucos me levou a morte
A morte e o vazio, o seu vazio, o vazio que sua presenca me causa
Estou morto (o amor mata)
Nunca soube dizer o quanto te amo
Nem tao pouco o quanto te amei
Me perdia todos os dias em seu olhar e me corrompia
Nos momentos de uniao eu morria



4 janeiro 2010

Um comentário:

Angélica disse...

Ah obrigada pela visita, já é minha vizinha!